Café da manhã em Malta: conheça o English Breakfast

A culinária maltesa, como vocês já devem ter lido aqui no VIVAMALTA, é repleta de especiarias, condimentos diferenciados e preparos nada convencionais, o que, somado às influências das diferentes nações que dominaram a ilha, originou-se uma cozinha variada e abundante, digna de dar água na boca em qualquer um! Um desses pratos, que por sinal […]

A culinária maltesa, como vocês já devem ter lido aqui no VIVAMALTA, é repleta de especiarias, condimentos diferenciados e preparos nada convencionais, o que, somado às influências das diferentes nações que dominaram a ilha, originou-se uma cozinha variada e abundante, digna de dar água na boca em qualquer um!

Um desses pratos, que por sinal já se consolidou como tradicional por aqui, veio da Inglaterra, mais especificamente lá do século XIII. Estamos falando do English Breakfast, um combinado de suculentos ingredientes que você não deve deixar de experimentar – e se desafiar a comer sozinho, porque a porção equivale a um almoço e é simplesmente enorme!

Quer conferir mais detalhes desse casamento entre a história e a gastronomia? Acompanhe!

 

Onde e como surgiu o English Breakfast? 

Voltemos no tempo, durante a existência de uma instituição britânica conhecida como English Centry, (ou pequena nobreza) cujos integrantes se consideravam guardiões do estilo de vida tradicional dos britânicos. Eles investiam bastante energia em manter vivas as práticas, valores, a cultura e a culinária do seu povo, e isso incluía infinitas comemorações entre amigos, familiares e visitantes, o que logo envolvia muita comida!

Rapidamente se tornaram conhecidos pela hospitalidade e por oferecerem grandes banquetes de café da manhã aos seus convidados, que tinha dois objetivos principais: prepará-los para um dia cheio, que geralmente envolvia trabalhos pesados e caçadas, e também para exibir a riqueza de suas propriedades no que dizia respeito à qualidade das carnes e vegetais produzidos em suas terras.

Foi quando a rainha Victoria subiu ao trono e uma série de mudanças sociais começaram a acontecer: essa pequena nobreza entrou em declínio e uma nova classe composta de comerciantes, industriais e homens de negócios estava emergindo. A Revolução Industrial e o Império Britânico potencializaram as riquezas do país como um todo, e essa nova classe se viu em busca de modelos a seguir para representarem então a nova nobreza.

Assim, estudaram incansavelmente os hábitos dos English Centry e adotaram com entusiasmo a ideia do café-da-manhã-banquete como um costume importante. A típica refeição britânica era mais do que uma tradição, ela representava uma oportunidade de demonstrar fortuna, bom gosto e educação social, e como uma arte, na qual são escolhidos os mais exóticos ingredientes e tem uma preparação impecável.

Cada país membro do Reino Unido desenvolveu uma variação do mesmo prato, e consequentemente os países cuja influência britânica estava em vigor, acabou incorporando a receita entre seus povos. Foi o que aconteceu em Malta, já que o arquipélago foi uma colônia britânica até 1974, tendo os ingleses permanecido nas ilhas durante 150 anos, utilizando-a como base militar.

 

Vamos à receita!

A tradicional refeição, com rendimento para 2 porções, consiste em:

  • 2 linguiças de porco
  • 4 fatias de chouriço
  • 2 ovos fritos
  • 8 tomates pequenos fritos ou grelhados
  • 8 unidades de cogumelos portobello salteados
  • 2 xícaras de feijão branco assado com molho de tomate
  • 4 fatias de bacon bacon (bem crispy e em fatias mais grossas do que o bacon brasileiro)
  • 2 fatias de pão de forma

E para acompanhar, é comum vermos chá preto com leite ou café puro!

Mas atenção: a qualidade dos ingredientes é o que torna o prato (de só 750 calorias, hehe) tão excepcional e hoje consumido praticamente em todo mundo, por isso atente-se a esse detalhe para não cair em propostas fakes.

O chouriço, por exemplo, é servido em rodelas, como um salame grosso, e é feito com sangue de porco, gordura, temperos e farinha de aveia.

Já os ovos devem ser fritos até que a gema fique mole e a clara branquinha. Os tomates geralmente são os cherry, em tamanho pequeno, mas qualquer outro tipo é bem-vindo (desde que maduro).

Os cogumelos devem estar frescos, e os preferidos são Portobello ou Paris. O feijão branco pode ser encontrado até mesmo em lata, da marca Heinz.

O bacon, que comentamos sobre ser mais grosso do que o nosso tradicional brasileiro, é porque além da barriga de porco também adicionam um pouco do lombo, conhecido chamado back bacon. 

Ah, e não podemos deixar de mencionar a variação desse mesmo prato que é servido atualmente na Irlanda! Basicamente, um café da manhã irlandês completo contém quase os mesmos itens de um café da manhã inglês. As diferenças entre os dois seriam os chouriços, já que na Irlanda é comum que ofereçam o chouriço preto e o branco juntos, e o pão em fatias, que pode ser substituído por panquecas de batata irlandesa, conhecidas como boxty, ou ainda batatas fritas.

 

Onde encontrar o English Breakfast em Malta? 

Aqui em Malta são muuuuitas as opções para experimentar essa iguaria – que a gente sabe, a esse momento você já está mais do que desejando!

Em Sliema, no Tony’s Bar, cujo prato tem fatias gigantes de bacon; no clássico Giorgio’s ou ainda no The Compass Lounge, que tem as apresentações de comida mais charmosas e fotogênicas da ilha.

Em Valletta, no Kantina Cafe & Wine, que tem uma localização privilegiada ao lado da Co-Catedral de São João ou no Caffe Cordina, um dos lugares de refeição mais requintados da ilha (e parada obrigatória aos turistas!).

Em St. Julians, no Shoreditch, restaurante conhecido por suas comidas #foodporn, e também no One Portomaso, eleito o melhor estabelecimento de café desse ano pelo TripAdvisor.

Em Bugibba, no tradicionalíssimo Fat Harry’s, tido como o lugar com o maior prato da categoria; no Oblico Café, que inclusive conta com opções sem glúten, e no Victoria Restaurant, que além de ser um ícone entre os malteses (tendo aberto suas portas há mais de 40 anos!), possui também a versão do prato vegano em seu menu, que tem: tofu mexido, tomate cereja grelhado, cogumelos, feijão cozido, abacate, linguiça vegana, pão torrado e chá ou café. Igualmente saboroso, não?!

 

 

E com isso finalizamos mais uma experiência culinária para a sua lista! Conta pra gente, você já tinha ouvido falar desse prato? E se já comeu, o que achou?

Comente e compartilhe com os seus amigos que não perdem um rolê gastronômico!

Receba nossa newsletter!

Cadastre seu melhor e-mail para receber notícias e novidades sobre Malta.